Nebulosidade sobre o Brasil

O ar seco predomina sobre o Brasil e a baixa umidade no ar está dificultando a formação de nuvens e ocorrência de chuva.

Nuvens de chuva crescem entre o Rio Grande do Sul, o Uruguai, a Argentina e o Paraguai por causa da acentuada queda da pressão atmosférica que ocorre nesta região.

Outras nuvens de chuva crescem pelo litoral do Nordeste e em alguns estados da Região Norte do Brasil.

Previsão do tempo para 24/8/2021 – terça-feira

Esta terça-feira, 24 de agosto, é com sol forte e ar seco, sem condições para chuva, na maioria das áreas do Brasil. O ar continua quente em praticamente todo o país. A chuva só ocorre em alguns locais do Norte, do Nordeste e no extremo sul do Brasil.

Quase todo o Rio Grande do Sul tem um dia com tempo muito instável, com chuva frequente, que pode ser forte, e temperatura amena. A faixa norte do estado tem aumento da nebulosidade e ventos moderados a fortes, mas por enquanto não chove. A Grande Porto Alegre tem chuva a qualquer a hora.

Santa Catarina, Paraná, toda a Região Sudeste, os estados do Centro-Oeste e a maioria das áreas do Nordeste passam esta terça-feira com muito sol e baixa umidade no ar.

No Nordeste, pancadas de chuva acontecem no litoral, na Zona da Mata e no Agreste, desde o sul da Bahia até o Rio Grande do Norte. A chuva é mais frequente entre Natal e Maceió. O litoral do Maranhão tem pancadas de chuva com raios a partir da tarde.

No Norte do Brasil, há previsão de pancadas de chuva com raios no norte do Pará, no Amapá, em Roraima, em quase todo o Amazonas, Acre e na fronteira de Rondônia com a Bolívia. Sol forte e tempo seco no sudeste e leste do Amazonas, no centro, sul e leste do Pará e no Tocantins.

.

A onda de calor que está sobre o Brasil mantém a temperatura elevada em praticamente todo o país. Apenas o Rio Grande do Sul tem temperatura.

Alertas meteorológicos para 24/8/2021 – terça-feira

Alerta para temporais no centro-sul do RS

Atenção para chuva moderada a forte, com raios e vento por vezes forte na Grande Porto Alegre e no centro-oeste do RS, no noroeste do AM, em RR, no centro-norte do AP, litoral do PA e do MA.

Atenção para chuva moderada no litoral de SE, PE e PB, incluindo as capitais Aracaju, Recife e João Pessoa.

Atenção para rajadas de vento com até 70 km/h no RS, no sul e centro-oeste de SC e do PR e no centro, sul e oeste de MS.

Atenção para rajadas de vento com até 60 km/h no litoral norte do RJ, no litoral sul do ES, MA, PI, CE, RN, PB, PE, norte da BA e norte do TO.

Situação de emergência para o ar extremamente seco, com nível de umidade no ar que pode ficar abaixo de 12% no oeste e sul de MT, em MS, no sul de GO e no oeste/noroeste de SP.

Alerta para o ar muito seco, com níveis de umidade entre 12% e 20% sobre no centro-norte do PR, no centro, leste e norte de SP, no centro-oeste e sul de MG, nas demais áreas de GO, DF, centro-norte e leste de MT, no TO, no sul do MA e PI, no oeste da BA, e sul de RO.

Sobre a Climatempo

Com solidez de 30 anos de mercado e fornecendo assessoria meteorológica de qualidade para segmentos estratégicos, a Climatempo é sinônimo de inovação. Foi a primeira empresa privada a oferecer análises customizadas para diversos setores do mercado, boletins informativos para meios de comunicação, canal 24 horas nas principais operadoras de TV por assinatura e posicionamento digital consolidado com website e aplicativos, que juntos somam 20 milhões de usuários mensais.

Em 2015, investiu na instalação do LABS Climatempo, no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP), que atua na pesquisa e desenvolvimento de soluções para tempo severo, energias renováveis (eólica e solar), hidrologia, comercialização e geração de energia, navegação interior, oceanografia e cidades inteligentes. Em 2019, a Climatempo passou a fazer parte do grupo norueguês StormGeo, líder global em inteligência meteorológica e soluções para suporte à decisão, e dois anos depois, em 2021, uniu-se à Somar Meteorologia, formando a maior companhia do setor na América do Sul. A fusão das duas empresas impulsiona a Climatempo a ser protagonista global de fornecimento de dados e soluções para os setores produtivos do Brasil e demais países da América Latina, com capacidade de oferecer informações precisas de forma mais ágil e robusta.

O Grupo Climatempo segue presidido pelo meteorologista Carlos Magno que, com mais de 35 anos de carreira, foi um dos primeiros comunicadores da profissão no país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui